Passeio

Beijo (não tão) Privado, por Rita Vilhena (Lançamento)

3 julho

Disponível no Soundcloud do Rama em Flor

(c) Rita Vilhena


“Quero levar-te por onde tantas vezes caminho sozinha. Antes mais deserto do que agora. Acontece que tem muita gente a querer-se passear por lá neste último ano, parece que finalmente descobriram que este parque tem magia. Mas a magia acontece para us que a permitem sentir. Vou mostrar-te o meu esconderijo no Parque da Bela Vista, e se me deixares vou-te dar um beijo na boca.”

— Rita Vilhena

Rita Vilhena é criadora, performer e intérprete. Bailarina profissional desde 2003, tem como principal motivação a ideia de transformação e participação, movida pela intuição e prazer. Os seus últimos trabalhos #VIBRA #DOR e CORPO SANTO são uma marca do seu trajecto artístico com interesse em ritual e performance, e actualmente com MA-MA e Pela Nossa Pele, no antropoceno e ecofeminismo. Em 2005 criou e dirigiu a Baila Louca improvisação e performance em Roterdão, uma plataforma que nutriu várias colaborações internacionais com coreógrafos, bailarinos e músicos. Desde 2005, membro activo da prática de Contacto Improvisação, facilita CI pelo mundo e, co-organiza o Festival Portugal Contacto Improvisação e a Partícula Extravagante CI. Divide-se entre docente e discente, actualmente leciona na Escola Superior de Dança em Lisboa e, frequenta o Doutoramento em Artes Cénicas na FCSH.

Ciclo Corpos no Espaço
Neste ano em que questionamos mais as relações de proximidade e empatia, aumenta a urgência do reconhecimento do outro, respeitando os tempos e os espaços de cada um. O retorno do corpo ao espaço faz-se caminhando, a solo ou acompanhades, ao ritmo que ditamos a nós própries ou deixando que vozes e experiências sensoriais exteriores a nós nos guiem ao que nos rodeia.